Entrevista Capicua

 A senhora Ana, uma verdadeira lutadora da "Guerrilha Cor-de-Rosa" vai lançar o seu primeiro álbum a solo pela Optimus Discos sob seu nome artístico "Capicua"  mas não e seu primeiro trabalho afinal de contas já lançou dois EP em colaborações Syzygy e Mau Feitio para alem de uma Mixtape com instrumentais de DJ Premier.

 

Em breve estará disponível para download o teu álbum “Capicua” o que podemos esperar?
Olá. Antes de mais obrigada pelo convite para a entrevista e pelo vosso trabalho. Quanto ao meu álbum podem esperar uma coisa bem diferente do que fiz até hoje e principalmente do registo mais competitivo e despojado da mixtape. Este é um álbum muito pessoal, quase biográfico, com muitos detalhes, muito trabalhado musicalmente e com temas mais profundos. Cada música tem um ambiente próprio, um assunto, uma emoção, um princípio e um fim e foi pensada como uma parte do todo. O single é a única música que lembra o registo anterior e é uma espécie de louvor a esse espírito competitivo que pretendo recuperar na próxima mixtape.

 

Há uns anos o Hip Hop feminino parecia que ia conquistar seu espaço com trabalhos como Syzygy mas parou, o que aconteceu?
Quanto ao "Hip Hop feminino" não sei, mas Syzygy contribuiu para agitar as águas e para diversificar o panorama do Rap, que na altura ainda era um pouco fechado e preconceituoso. Fizemos um Ep diferente e corajoso e sempre tivemos intenção de editar um álbum. No entanto, como acontece tantas vezes quando se trabalha em grupo, foi difícil gerir os timings das várias vidas envolvidas e esse projecto foi-se arrastando até ficar perdido numa gaveta. Tenho pena que isso tenha acontecido, mas ao mesmo tempo sinto que foi um projecto tão positivo que vou relembrá-lo sempre com alegria.

 

Hip Hop Português e mundial e um universo masculino, achas que consegues conquistar para a Gerrilha Cor-de-rosa?
É verdade que Hip Hop é um universo muito masculino e que pode ser muito hostil e misógino mas, ao mesmo tempo, é o meu habitat natural. Eu gosto do Rap e sei que o Rap é justo com quem tem talento e com quem se esforça. E portanto acredito que todas as Rappers mulheres que pelo seu mérito se destacarem têm uma oportunidade. Até porque como somos menos acabamos por ter mais visibilidade. Agora, uma coisa é certa, é preciso ter muita força de vontade, muito empenho e muita coragem para fazer Rap e, sobretudo, para fazer Rap sendo mulher. É um meio muito competitivo, a crítica é voraz e há sempre alguém a torcer contra. Também por isso todas as pequenas vitórias são vividas com muita intensidade. E no que depender de mim, a "Guerrilha Cor de Rosa" ainda vai somar muitas e merecidas vitórias!

 

Podemos contar com algo novo de Syzygy?
Eu gostava muito de fazer um álbum com a M7 e com o D-one. Vamos ver se os astros se alinham para que isso aconteça. Essa era uma das vitórias que gostava de colecionar e até já ando a chatear a Marta! Vamos ver...

E de Mau Feitio? 
Ora aí está uma bela ideia! Não posso prometer e por agora não é uma prioridade para nós, mas acho que ia ser muito bom voltar a trabalhar com o Auge e dar aso ao nosso mau feitio.

O que podemos contar para o futuro do HipHop Feminino Tuga?
Só posso falar por mim e de mim podem esperar muito trabalho. Vou continuar a fazer o meu Rap e a honrar a Cultura e espero que com isso possa inspirar e influenciar positivamente outras pessoas, sejam homens ou mulheres.

Esse novo EP já e o teu 4º trabalho, e muitas mais participações tens mais para o futuro? 
Sim. Estou a começar a escrever a segunda parte da Mixtape, desta vez com beats do Kanye West. Vai chamar-se "Capicua goes West" e espero que saia lá para o fim do ano. Para além disso, gostava muito de fazer um álbum com a M7.

Poderemos contar com concertos teus para breve?
Para já tenho planeado um concerto em Março organizado pela Optimus Discos. Mas pretendo fazer mais concertos de apresentação do álbum em Abril, em vários pontos do país.

“Maria Capaz” o primeiro single divulgado e produzido pelo Sam The Kid tens mais produções de outros nomes?
Sim. Tenho beats do D-one, do Xeg, do Darksunn, do Nelassassin e do Ruas. Tive a sorte de poder contar com a generosidade de muitos produtores talentosos que disponibilizaram beats para eu escolher e depois de uma longa e exaustiva busca acabei por encontrar 14 beats que combinavam com as minhas ideias e emoções. É sempre um processo difícil, mas no final fiquei muito contente com o resultado e eles tiveram muita paciência para ajudar e para esperar, confiando que depois de longos meses ia sair alguma coisa de jeito!

E nas vozes algumas colaborações?
Tenho apenas uma participação, a do Nerve. Senti sempre que era um álbum demasiado pessoal para que fizesse sentido partilha-lo com outros MC's. Convidei o Nerve porque num dos sons, chamado "Judas & Dalilas", precisava de um Judas e achei que ele tinha o sarcasmo e o humor certos para o personagem. Modéstia à parte, acho que acertei, é um dos melhores sons do álbum e não quero com isto dizer que o Nerve tem talento para ser traidor ou coisa do género! Eheheheh!

Como chegaste acordo com Optimus Discos para lançar teu disco? 
Quando acabei o disco mostrei a algumas editoras, ao mesmo tempo que preparava uma edição de autor. Não tinha grandes expectativas e estava tudo pronto para avançar sem apoios, com a ideia de editar o disco por minha conta,  pondo o disco para download gratuito e ao mesmo tempo fazendo 500 cópias para vender em concertos. Entretanto recebi o telefonema do Henrique Amaro, que é o director artístico da Optimus Discos a dizer que tinha gostado do álbum e que estavam interessados em editar. Eu fiquei muito contente, primeiro porque simpatizo muito com o trabalho da Optimus Discos, sigo sempre os lançamentos deles e aprecio o facto de editarem muitos discos de Hip Hop (como Dealema, Nelassassin, Chullage, Nigga Poison, etc.) e depois porque é sempre bom ter ajuda para a promoção do nosso trabalho e principalmente de uma label com esta qualidade. Para além disso, é a única plataforma editorial que oferece música para download gratuito ao mesmo tempo que põe os discos à venda nas lojas por um preço muito acessível e era precisamente isso que eu queria fazer! Foi perfeito!

Queres deixar uma mensagem para os seguidores do HipHopWeb?
Sim. Quero agradecer a todas as pessoas que me apoiam e partilham a minha música. Dizer que o meu álbum sai dia 13 de Fevereiro e que já podem sacar o single no site da Optimus Discos. E, finalmente, que se tiverem interesse em seguir as novidades (videos, concertos, etc.) é só acompanhar em www.facebook.com/capicuarap. Obrigada! Beijinhos.


Entretanto já esta disponível para download o álbum Capicua, também esta disponível para download Mau Feitio o nosso mais antigo download.

 

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+