Vicious Events, um projecto pioneiro no hip hop português?

Nuno Teixeira, Paulo Pinto e Pedro Jesus falaram-nos sobre o seu empreendimento.

Apresentam-se como a primeira produtora em Portugal dedicada exclusivamente ao hip hop e à cultura urbana. Que lacunas e necessidades sentiram no meio, que vos motivaram a avançar com este projeto?
Além da paixão pelo hip hop em si, criámos a Vicious para dar vida a uma cultura que apenas sobrevive. Sobrevive à falta de investimento, à escassez de iniciativas, à falta de qualidade de algumas dessas iniciativas e à discriminação por partes dos órgãos empreendedores. É uma cultura que move massas, por isso é um solo muito fértil onde iremos plantar sementes nos próximos tempos.

Quais os objetivos e propósitos da Vicious Events?
Além de podermos vir a estabelecer uma excelente relação com a indústria musical portuguesa e ramificarmos todo o nosso trabalho por todo o país, queremos ter uma agenda assídua de bons artistas e bons espetáculos, e quem sabe, deixarmos de ser uma produtora exclusivamente dedicada ao hip hop e abrirmos as nossas portas a todos os estilos musicais.
Como descreveriam o estado actual do hip hop em Portugal? 
Sentem uma grande mudança desde a divulgação do hip hop junto de um público mais alargado com o lançamento da compilação "Rapública", em 1994?
Os tempos foram outros, mas na actualidade o hip hop está aos olhos de todos, através de redes sociais, canais de partilha de música e vídeos, toda a gente tem acesso a hip hop nacional e internacional através da Internet!
Algumas séries televisivas para jovens, apostam muito em exclusivo nesta cultura urbana através do rap, do grafitti e do breakdance.
Nos dias de hoje vemos artistas de hip hop fazerem participações com músicos de outras sonoridades completamente diferentes, como é o caso da Marisa, do Tim dos Xutos & Pontapés, do Vitorino, entre muitos outros, coisa que em 1994 era impensável, pois o hip hop era visto como música de marginais, dos bairros sociais... Ainda hoje sofre esse estigma, mais diluído claro,  mas ainda assim um estilo de música que levanta bastante desconfiança por parte da comunicação social e do público em geral.
Por isso vamos fazer por mostrar que o hip hop é cultura, que o hip hop é arte... Tem poesia, tem dança, tem pintura, como é possível ainda haver dúvidas?
Já contam com alguns artistas? Podem revelar nomes?
Nós somos uma promotora de eventos recente, mas somos fãs de hip hop há largos anos, e  devido às boas relações mantidas ao longo de todos esses anos com quase todas as bandas e artistas, achamos positivo dizer que podemos contar com quase todos, de Norte a Sul do país!
E que eles podem contar connosco.
De que forma é que a Vicious Events pode ajudar e facilitar o lançamento de um projeto emergente que se quer afirmar junto de um público maior?
Independentemente deste festival [ 1º Vicious Hip Hop ] que conta com os maiores nomes do movimento, a nossa política de escolha de artistas para um cartaz, é pesquisar também novos projectos com qualidade que aparecem no mercado, e juntar  a esses projectos emergentes mais 2 ou 3 nomes de sucesso garantido, e assim proporcionar um bom público para eles apresentarem os seus novos trabalhos, em conjunto com nomes que eles idolatram. Por isso a Vicious está presente para apoiar a velha e a nova escola desta cultura incrível.
Que sugestões fariam a quem se quer iniciar e entrar no mundo dos beats e das rimas?
Que não tenham medo de experimentar! Que ouçam os mestres, mas não os copiem, tentem dar o cunho pessoal a um instrumental, a uma rima. E se forem bons, cá estaremos para os ajudar.
Há mais concertos e eventos programados para o futuro próximo, depois da primeira edição do festival Vicious Hip Hop?
Os próximos dois eventos  já estão "no forno", a Vicious Events tem por política anunciar o próximo evento no decorrer do actual, por isso dia 15 de Setembro será anunciado o evento seguinte, e assim sucessivamente.
Assim, deixamos o público já com água na boca e com tempo de programarem a sua vida e comparecerem para fazer a festa connosco!
Onde podemos seguir e estar a par das actividades da Vicious Events?
Para já, podem seguir-nos através da nossa página do Facebook . O nosso website estará disponível muito em breve.

IN arte sonora

 

Partilhar
Google+