Entrevista com DJ Ride

HHW: Ride, como começou o teu interesse pelo turntablism?
Sinceramente não sei explicar, foi tudo bastante estranho. Sempre tive um fascínio enorme pelo gira discos mas na altura que queria comprar um nem sabia bem todo o potencial que tinha como instrumento, fui aprendendo aos poucos. Talvez esteja ligado com o facto de ter partido a minha primeira agulha com 2 anos, do gira discos dos meus Pais. Como era um ''brinquedo'' tão giro e apetecível, deve ter ficado gravado para sempre no meu subconsciente.

 


HHW: Qual foi a data e sítio preferido onde tocaste este ano?

Este ano sem duvida que foi o Sudoeste, e o Exit Festival na Servia. é impossível exprimir a energia que sentes quando estás a tocar para tanta gente, principalmente quando está tudo a reagir e aos pulos a tua frente. E por outro lado é super recompensador porque a maior parte das pessoas não faz ideia do trabalho que está por detrás de uma actuação como a que fiz no SW2010, são 8 anos a tentar furar neste país sem grande cultura na musica urbana, agarrar a oportunidade e ter corrido como correu, foi perfeito.

HHW: Adquiriste vários prémios de scratch ao longo do teu percurso, como foi a tua evolução como DJ?
No início dedicava-me mesmo só ao Turntablism e produção, daí também ter tido uma evolução bastante rápida, porque passava todos os dias só a treinar scratch. Nessa altura era praticamente obrigatório ter que entrar nos campeonatos quer para mostrar o meu trabalho, quer para tentar a minha sorte e evoluir mais. Ter-me sagrado campeão nacional turntablism abriu-me muitas portas, e ajudou a ganhar credibilidade fora do 'meio', até porque nessa altura era bastante novo, com os prémios começaram a olhar para o meu trabalho de uma maneira diferente. Depois dos campeonatos de Scratch há uma altura em que olhas para o meio a tua volta e vês que é impossível viver há custa do Turntablism, mesmo lá fora é complicado, por isso comecei a produzir mais e a tocar mais em Club's // Festivais, com bandas, etc. Neste momento estou novamente a criar novas Routines de Scratch e a treinar como há uns tempos atrás. Acho que um dia destes talvez volte a entrar no DMC ou ITF.

HHW: Como foi lançar a primeira ferramenta de scratch portuguesa?
Sinto-me orgulhoso no melhor dos sentidos de ter produzido o disco, e estou super contente com o resultado final e com todo o apoio que a Red Bull Home Groove me deu. Além da forma como foi distribuído, gratuitamente, foi um trabalho ''da'' e para ''a'' comunidade! Por outro lado é pena que só em 2009 alguém tenha feito um Vinil só de Scratch, isso prova o quanto o nosso país está atrasado em algumas coisas. Claro que tenho de mencionar o trabalho que o Bomberjack fez, em por alguns samples em discos que foi editando, e acapellas. Mas um vinil só para Scratch, um Scratch Tool a 100% só mesmo o nosso. Entretanto estou a acabar outro disco de scratch com o Stereossauro, ''TUGA BREAKZ'', está praticamente pronto, falta só acertar com o timing da edição.

HHW: Após o lançamento do vinil de tools "180 GR Scratch Tool" e dos àlbuns "Turntable FOOD ", "Beat Journey" e " "Psychedelic Sound Waves", pretendes lançar mais algum projecto brevemente?
Eu sou um produtor compulsivo, e por cada álbum que lanço, acho que ficam 3 na gaveta. Adorava poder editar mais musica minha mas infelizmente como toda a gente sabe não é a melhor altura do mundo para se investir em cd's ou mesmo vinil. No entanto continuo a trabalhar, brevemente teremos o ''TUGA BREAKZ'', como disse outro scratch tool, tenho também um remix para o KA§par a sair em vinil também, e talvez outro álbum para 2011, com mais participações vocais do que o ultimo.

HHW: Gostavas ou tens projectos de lançar música internacionalmente?
Sim, é um dos meus objectivos a longo prazo, e fazem-me bastantes vezes essa pergunta, mas a verdade é que, com tanto trabalho que tenho tido ainda não me foquei a tentar promover a serio as minhas musicas lá fora, mas em breve isso vai acontecer espero.

HHW: Os Supa vão continuar ou estão em stand - by?
Estão em standby devido ao trabalho que o resto dos elementos têm tido noutras áreas que não a música, mas vão continuar.

HHW: Qual o teu próximo objectivo como DJ?
Continuar o que tenho feito, continuar a assegurar a minha presença em festivais e circuitos maiores, como aconteceu este verão, comprar ainda mais musica e reunir as condições para montar um espectáculo maior, que cruza a parte de DJ com Live Act/Live Video etc.

HHW: Quais são as tuas influências neste momento?
Tudo aquilo que musicalmente ou conceptualmente seja interessante e me estimule. Neste momento a nível de musica, Lorn, Ahu, Mount Kimbie, Spill, Lazer Sword, Bullion, Moderat, Starkey, Congorock, so many..

HHW: Top 5 das músicas que andas a ouvir...
Mais mix's ou álbuns do que propriamente musicas:
STEREOSSAURO ATE BORRAS-TE VOL. 3 (brevemente ai.)
Ahu Fact Mixtape
Slum Village Villa Manifesto
RedBull Music Academy Various Assets
Teebs new album
(amanhã provavelmente podia-te dar outro top 5..)

HHW: Alguma mensagem final?
As coisas do costume, continuem a apoiar o que é nacional! e façam mais o trabalho de casa, aka DIGGIN! há tanta musica boa ainda por ser descoberta..

 

Entrevista por: Sílvia Cruz

Partilhar
Google+