Valete: «Calhou-nos um dos piores governos de sempre»

Rapper critica o caráter e a incompetência dos ministros Miguel Relvas e Vítor Gaspar e lamenta a pouca sorte do povo português num momento tão sensível.

«Homo Libero», o novo álbum de Valete, não vai ser indiferente à atual situação económica, social e política em Portugal e no mundo. O rapper mantém um olhar atento sobre os mais recentes acontecimentos no país e lamenta a pouca sorte do povo português por ter «um dos piores governos de sempre».
«Num dos piores momentos ao nível de situação económica e social calhou-nos um dos piores governos de sempre. Não só a nível do caráter - tens ministros de um caráter muito duvidoso, sem escrúpulos, como o Miguel Relvas - e ao nível da competência - tens ministros muito incompetentes», disse o MC em entrevista ao IOL Música.

Para além do ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Valete dá ainda o exemplo do ministro das Finanças: «Eu creio que o Vítor Gaspar não acertou em nenhuma previsão até agora. Nenhuma. Fez várias e falhou todas».

«Como é que uma pessoa que está num cargo há quase dois anos, que faz uma data de previsões e falha todas, ainda está naquele lugar?», questiona o rapper.

«Acho que Portugal teve muito azar a esse nível. Calhou-nos um governo de pessoas de caráter duvidoso, muito incompetentes, num momento de grande sensibilidade [para o povo português]. E obviamente que as pessoas têm de responder a isso», disse acerca das mais recentes manifestações, cada vez mais violentas, contra as políticas de austeridade do governo.

Valete: «Gosto que os álbuns sejam retratos da vida»

Valete não quer ser um profeta da desgraça, mas acredita que «vai tudo acabar num colapso económico, social e político».

«Estás com este problema agora das dívidas soberanas, que obrigam os governos a terem estas políticas de austeridade, mas vais ter outro problema muito grave daqui a uns anos com a questão da segurança social. Se calhar, daqui a dez anos, não vai haver reformas para ninguém», avisou.

O rapper acredita ainda que «daqui a 15, 20 anos» o desemprego tecnológico, com a substituição do trabalho humano por máquinas e computadores, vai levar muitos países europeus a terem taxas de desemprego de «50 ou 60 por cento».

«É muita coisa que se vai acumular e numa altura em que tens os piores estadistas de sempre. São políticos que não tomam decisões de médio-longo prazo, são políticos com muita incompetência. Eu acho que vamos colapsar, vamos chegar a momentos pré-caóticos e vamos ter de passar para outra coisa.»

in IOL Musica

Partilhar
Google+