Por um Porto mais "Limpo"

Expliquem-me quem são vocês para decidirem o que e o que não limpar... é engraçado usarem uma imagem "graffiti" para promover a vossa causa.
Querem limpar o Porto? Comecem pelo gabinete do presidente da Câmara, pois é graças a ele e à guerra que começou contra o graffiti.
O Porto tem artistas que são requisitados nacional e internacionalmente, que já pintaram e deram mais vida a muitas cidades.
Artistas que só não podem fazer o que sabem fazer de melhor, na cidade que os viu crescer.
Se tivessem um pouco da sabedoria das ruas, percebiam que jamais conseguirão acabar com o Graffiti, seja este mais trabalhado, ou de teor mais vândalo. Também teriam a certeza de que ao limparem uma peça de graffiti, estão apenas a criar um novo espaço para se intervir. Falo por experiência própria, eu, que vi os locais ou praticava tranquilamente serem demolidos ou entaipados. Todas as artes precisam, a bem ou a mal, de um sítio para serem praticadas e esta não é excepção.

Numa altura em que o povo tem vindo a sobreviver, acho um insulto a C.M.P. apoiar estas causas e disponibilizar verbas para lavar/calar as paredes/vozes da cidade, em vez de ajudar quem tem dificuldades reais. Eu já vi os métodos utilizados para limpar a nossa cidade e estes incluem confiscar mantas aos sem-abrigo, para deixar uma boa impressão aos estrangeiros.
O graffiti, como eu disse, nunca irá acabar, no máximo, o feitiço vira-se contra o feiticeiro. As metrópoles estão condenadas a viver com isso, é muita gente, é muito fácil comprar uma lata e escrever "amo-te Felisberta" ou "Rute 7ºA + Toni 7ºC", "SLB = merda".
Isso sim, podem apagar.. o que tb podem, é retirar os cartazes que colam e ficam ao abandono nas paredes.
Parte da solução passa por se legalizarem espaços com a finalidade da prática de graffiti, espaços que já se tentaram legalizar, mas que a C.M.P. recusou, sem sequer avaliar a proposta, numa birra constante, onde artistas e miudagem de 10 anos são colocados no mesmo saco.

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+