Festival Terra do Rap reúne artistas portugueses no Brasil

Entre os dias 18 de julho e 1 de agosto, o Festival Terra do Rap será realizado nas unidades do SESI de Duque de Caxias, Macaé, Campos de Goytacazes, Itaperuna e Centro do Rio. Integrante do X-Tudo Cultural, patrocinado pelo Sistema FIRJAN, o evento foi pensado para agregar o conhecimento da cultura hip-hop de maneira transversal e intertextual à história da cultura urbana, promovida entre países que falam a língua portuguesa.
Esta segunda edição do Terra do Rap vai apresentar 13 artistas do movimento hip-hop oriundos de 6 cidades (Luanda, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Lisboa e Porto) e 3 países (Angola, Brasil e Portugal). A partir dos eventos que integram o público ao intercâmbio entre os rappers é proposta uma análise a respeito da importância do movimento hip-hop nas Comunidades de Países da Língua Portuguesa (CPLP), a partir de workshops e performances artísticas.

O Terra do Rap vai se dividir em três momentos:

+ Caravana Rap Lusófono (entre 18 e 25 de julho) – rappers conversam com o público sobre seus processos criativos, ministram workshops de produção artística e realizam pocket shows com artistas locais nas unidades do SESI;

18 de julho, das 19h às 21h – SESI Duque de Caxias: Bob-X será o artista da região;
23 de julho, das 14h às 17h – SESI Macaé: Marte será o artista da região;
24 de julho, das 20h às 22h – SESI Campos de Goytacazes: Ellen Corrêa será a artista da região;
25 de julho, das 20h às 22h – SESI Itaperuna: Suspeitos na Mira são os artistas da região;

Nos quatro encontros, os artistas do intercâmbio serão: Eva RapDiva (Angola), Vinicius Terra (Brasil) e Sr. Alfaiate (Portugal)

+ Fita Misturada Ao Vivo (entre 28 e 31 de julho) – 13 artistas de destaque na cena do rap do Brasil, de Portugal e de Angola, apresentam um show inédito elaborado para a ocasião, feito uma mixtape criada ao vivo, para celebrar a união entre as nações da língua portuguesa; o show do dia 31 de julho é resultado de 3 encontros dentro de um estúdio, que acontecerão nos dias 28, 29 e 30. Participação especial e homenagem a um pioneiro da cultura hip-hop.

+ Feira de Vinil (1 de agosto) – feira ao ar livre para amantes do vinil, com a presença de dezenas de expositores, vendendo raridades a preços acessíveis. Ao longo do dia, a feira ocupará a Rua Pedro Lessa encerrando ao festival, com a presença de deejays e rappers, além do lançamento do CD “Projecto BPM”, formado por nomes de destaque dos três países.

As atrações da segunda edição do Festival Terra do Rap serão: Eva Rapdiva e Kid MC (de Angola); De Leve, Don-L, Funkero, Nino Leal, Rodrigo Ogi e Vinicius Terra (do Brasil); Capicua, Mundo Segundo, Sam The Kid e Sr. Alfaiate (de Portugal). A grande novidade será o lançamento do primeiro CD do grupo Projecto BPM, formado há um ano, numa turnê em Portugal, por representantes de três países da CPLP: o brasileiro Vinicius Terra, o português Mundo Segundo e o luso caboverdiano Sr. Alfaiate. O nome significa ‘Brasil Portugal Misturados’, mas também pode ser entendido como uma brincadeira com a sigla de ‘Batidas Por Minuto’. Veja os detalhes da programação.

Conheça cada um dos artistas portugueses

Capicua

Capicua

Capicua (do catalão cap i cua, que significa cabeça e cauda) é Ana Matos Fernandes. Nascida na cidade do Porto, no ano em que Michael Jackson muda o mundo com “Thriller” e Gabriel García Márquez ganha o Nobel da Literatura pelo “Cem anos de solidão”. Cresce a gostar de rimas e de palavras ditas ao contrário, da “Canção de Embalar” do Zeca e de ouvir o Pai a dizer os poemas dos outros.

Aos 15 descobre o Hip Hop, primeiro através do graffiti, depois pelas rimas em cassetes, até chegar aos microfones. Algures entre a escola e a universidade, do Porto para Lisboa, estuda sociologia e faz um doutoramento em Barcelona.

Mc militante desde 2004 edita dois Ep’s em grupo (“Syzygy” em 2006 e “Mau Feitio” em 2007), até estar pronta para a primeira aventura solitária em 2008 com a aclamada mixtape “Capicua goes Preemo”. Seguem-se inúmeras colaborações em diversas compilações e mixtapes de alguns dos mais conceituados Dj’s e Produtores do Hip Hop português.

Em 2012, edita o seu primeiro álbum “Capicua”, e consegue atingir novos públicos, surpreender a crítica e ganhar destaque nas listas de melhores discos do ano, em Portugal. No ano seguinte, com nova mixtape, desta vez com beats de Kanye West (“Capicua goes West”) e acaba com uma longa lista de colaborações, conferências, projetos e concertos pelo país.

O segundo LP, “Sereia Louca” (ou serei a louca), saiu em Março de 2014. É um disco de Rap que nos diz coisas estranhas ao ouvido e que tal como as sereias tem duas metades. Uma que se faz com produções de grandes nomes do Hip-Hop Tuga. E outra que nasceu no palco e se enche de versões acústicas de músicas de trabalhos anteriores.

Sr. Alfaiate

Sr. Alfaiate

A história de Nelson Duarte se equipara à vida de muitos filhos de imigrantes da África Lusósofona que, devido às guerras civis e processos conturbados de independência, buscaram asilo ou um novo rumo em Portugal: seus pais nasceram em Cabo Verde e, antes de imigrarem para a Europa, viveram em Angola onde seu pai foi policial militar.

Em Lisboa, mais precisamente no subúrbio de Carcavelos que travou conhecimento com a arte do turntablism. Todos os domingos na década de 1990 juntavam-se os amigos em casa para aprimorar sua arte nos toca-discos. E foi ali que Nelson Duarte tornou-se o Nel’Assassin – codinome esse que surgiu devido à sua habilidade como deejay e ser um exímio exterminador de oponentes em campeonatos.

Após campeonatos, dj sets nos principais clubs de seu país e participações em CDs dos mais importantes rappers portugueses, em 2008 lança o álbum “Recosntrução”, onde apresenta duas novas facetas até então desconhecidas pelo mercado fonográfico e pela mídia: o de produtor musical e beatmaker. E assim alçou voos como artista em países como Inglaterra, Bélgica, Espanha, Estados Unidos, Brasil, Angola entre outros. Acumulando em seu currículo parcerias e colaborações com artistas de diversos lugares do mundo… Muito além do Hip-Hop em Portugal.

Da sua inquietude nasce um inesperado novo artista muito mais completo e complexo: o Sr.Alfaiate, um exímio costureiro da música que, com a precisão da agulha no vinil cria a partir de materiais simples verdadeiras obras musicais atemporais e universais, porém, com referências locais embasadas em sua origem lusoafricana e as referências na música negra urbana e contemporânea. O Sr.Alfaiate acumula em sua carreira uma série de mixtapes e EPs que podem ser encontrados na internet e disponíveis para free download.

Sam The Kid

Sam The Kid

Sam the Kid é atualmente um dos expoentes máximos do Hip-Hop em Portugal. Em meados dos anos noventa, Sam estava na linha da frente de uma das gerações que consagrou o Hip-Hop Tuga, sendo constantemente requisitado para participações no circuito underground de mixtapes, e tendo ainda lançado o primeiro álbum “Entre(Tanto)” em 1999. Como uma lufada de ar fresco, a sua consagração foi alcançada com os trabalhos “Sobre(tudo)” e ainda “Beats Volume1: Amor” em 2002, sendo este último bastante aclamado pela crítica, valendo-lhe assim o grande reconhecimento como excelente beatmaker, cimentando o seu enorme talento tanto para os versos como para a composição.

Elevando a arte de samplear a um patamar nunca antes atingido no passado pela grande maioria dos compositores portugueses, Sam the Kid é facilmente reconhecido como estar no topo dos talentos das novas gerações de produtores. Sendo constantemente convidado por outros artistas para dar o seu contributo tanto na mestria das suas rimas como em beats, Sam eleva bastante a arte de DIY ao ser bastante proativo em termos de recursos. Álbuns pensados, escritos, trabalhados e gravados em casa, composições com samples improváveis, versos identificativos que se demarcam da grande maioria marcando firmemente uma posição de auto-suficiência, mestria e afirmação.

Em 2006, lança mais um grande disco, “Pratica(mente)”, alargando ainda mais a sua notoriedade com singles e vídeos que se tornaram reconhecidos por todos, garantindo ainda presença em grandes festivais, assinadas sempre com grandes atuações. Sam the Kid marca uma geração, ao mesmo tempo que transpõe barreiras, educa mentes e faz a ponte entre gerações.

 

Mundo Segundo

Mundo Segundo

Mundo Segundo (Rapper/Beatmaker/Produtor) é uma figura incontornável do Hip-Hop Português. Com 20 anos de carreira, sua trajetória vai além do seu primeiro CD em 2006 – contabilizando 2 mixtapes solo, criação e produção de diversos eventos que impulsionaram o Rap em Portugal, além da fundação de grupos como “Real Companhia” e o respeitadíssimo “Dealema” –   e mesmo nascido em Vila Nova de Gaia (Norte de Portugal), seu trabalho é respeitado em todo o território lusitano, sobretudo na capital do país (Lisboa).

No ano de 2013 (em comemoração aos 20 anos de carreira) foi condecorado com algumas premiações da mídia especializada, além disso, lançou junto ao lendário grupo Dealema o disco “Alvorada da Alma” (o single “Bom Dia”ocupou o 1º lugar na Rádio portuguesa “Antena 3 FM” por semanas, confirmando mais uma vez a relevância de Mundo Segundo como uma das figuras mais importantes nas últimas duas décadas no Hip-Hop português.

Em 2014 lançou seu mais que aguardado álbum solo (“Segundo Ancião”) e, ao lado do rapper brasileiro Vinicius Terra e do deejay lusocaboverdiano Sr.Alfaiate o histórico “Projecto B.P.M. – Brasil Portugal Misturados”: o primeiro disco na história do rap lusófono autoral produzido entre Brasil e Portugal, sobretudo no tocante ao intercâmbio e à integração entre artistas de mesmo idioma e da mesma geração, mas de contextos nacionais diferentes.

* Com informações do site oficial e de Mônica Ramalho

in coltuga

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+