Paredes de Coura arranca "à séria"

As portas da 22.ª edição do Vodafone Paredes de Coura abriram às 20 horas e pouco mais de uma hora depois, já Capicua estava em cima do palco a dar as boas-vindas aos festivaleiros. Assumidamente feminina e tripeira, com rimas afiadas e bem ritmadas, a portuense, Ana Fernandes de batismo, arrancou o festival em grande estilo.
Ajudada por uma batida poderosa ou "a capella", Capicua junta as palavras com arte e ritmo e dispara-as à velocidade de uma bala. Quarenta minutos depois de ter começado, a MC saiu do palco ao som de muitas palmas e com mais um concerto muito competente para juntar ao currículo.

Às 22 horas, quando os Cage The Elephant entraram em cena, o recinto já estava a mais de meio. O dia era para ser de receção ao campista, mas acabou por se tornar num dia "a sério" e a ameaçar casa cheia. Os americanos, que tocam um rock alternativo a fazer lembrar os Pixies com uns ares do Mississippi, atraíram ainda mais gente ao anfiteatro natural da praia do Taboão.

Muito bombo, pratos e guitarras elétricas intercaladas por refrões melódicos e apelativos caíram no goto do público que reagiu com braços no ar, palmas e mosh. E as pessoas não paravam de chegar.

in Jornal Noticias

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+