Cientistas revelam segredos por trás das rimas mais complexas do hip hop

Depois de analisar a música de alguns dos maiores artistas do hip hop, de Eminem a Public Enemy, linguistas da Universidade de Manchester, na Inglaterra, notaram algo impressionante.
Parece que os rappers premiados com o Grammy possuem um dom intuitivo de criar versos rimados, utilizando padrões de rima sutis chamados rimas imperfeitas (como “planta” e “banca”) muito mais frequentemente que as tradicionais rimas perfeitas (como “amor” e “dor”). Percebeu a diferença?

“Com as rimas ‘tradicionais’, podemos explicar facilmente se duas palavras rimam ou não, baseados em nossa reflexão consciente (elas têm ou não o mesmo som)”, explicou ao HuffPost em e-mail o professor de linguística Wendell Kimper, da universidade que comandou a pesquisa.

“No caso das rimas imperfeitas, é muito mais difícil saber o que é permissível ou não. Sabemos que tem algo a ver com a semelhança existente entre os sons, mas cada indivíduo não conseguiria explicar precisamente por que uma rima imperfeita funciona e outra, não. Em matéria de sons falados, ainda há muito que não sabemos sobre a semelhança e como medi-la.”

Louise Middleton, estudante terceiranista de linguística na universidade e aluna de Kimper, analisou a música de oito rappers diferentes, estudando as estruturas e os padrões das rimas, as dimensões do vocabulário de cada artista, o índice de rimas e a posição das rimas nos versos.

Foram analisadas as primeiras 2.000 palavras do álbum de estreia de cada rapper.

“Foi uma amostra grande o suficiente para produzir diferenças estatisticamente significativas entre artistas e correlações estatisticamente significativas entre certos tipos de rimas e as dimensões do vocabulário dos artistas”, Kimper escreveu no e-mail.

Então o que Middleton descobriu?

“Minha pesquisa revelou que mais de 70% do tempo os artistas empregaram rimas imperfeitas, como ‘planta-banca’, no lugar de rimas perfeitas”, Middleton explicou em comunicado escrito. “Essas rimas imperfeitas no rap não são coisas que as pessoas geralmente consigam criar de improviso, mas algo que os artistas populares do rap possuem habilidade natural de criar.”

Como disse certa vez o rapper Jay-Z, em comentário que ficou famoso, “os números não mentem”.

Não é a primeira vez que o hip hop é analisado cientificamente. Em 2014, o cientista de dados Matt Daniels, de Nova York, estudou as dimensões do vocabulário de vários rappers. Sua pesquisa inspirou a de Middleton.

Kimper e Middleton esperam apresentar a nova pesquisa numa conferência em um ano.

in Brasil Post

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+