Hip-hop português conquista público brasileiro com o carisma de Boss AC

Veterano do Rock in Rio Lisboa, o português Boss AC estreou-se na quinta-feira na versão carioca do festival, a mostrar grande sintonia com a música brasileira e africana ao lado de Áfrika Bambaataa e Paula Lima.
"Considero que a minha música não tem fronteiras. Estar no palco e poder  cantar um samba com a Paula e logo a seguir estarmos a fazer uma salsa e  logo um reggae é demais", afirmou Boss AC à Lusa, contando que a cumplicidade  experimentada entre eles durante o 'show' aconteceu espontaneamente. 

 

"O Sunset  (nome do palco onde se apresentou) tem uma vibe de jam, apesar  das coisas serem ensaiadas, não são pré-formatadas. Há coisas que não estavam  definidas e acabaram por resultar bem", comemorou, destacando ainda a boa  receção por parte de quem assistiu. 
O músico ressaltou que "o público brasileiro é exatamente famoso pela  sua energia, mas não há nada como testemunhar isso na primeira pessoa".
Boss AC, que se apresentou pela primeira vez no Brasil em 2005, mas  nunca teve um disco editado no país, contou que recebe constantemente e-mails  de brasileiros que admiram o seu trabalho e defendeu uma maior divulgação  da música portuguesa contemporânea no Brasil. 
"Há espaço para a música portuguesa no Brasil. Fala-se na lusofonia  e no intercâmbio, mas esse intercâmbio Brasil-Portugal tem sido uma autoestrada  num sentido só. Temos de abrir o caminho Portugal-Brasil", defendeu o rapper  à Lusa. 
No seu entender, o que falta para isso é apenas dar a conhecer a produção  musical portuguesa contemporânea.  
"O facto não é as pessoas não gostarem. É as pessoas não conhecerem.  Tem de se dar a conhecer. Eu tenho essa impressão porque recebo o feedback  pela minha própria música, que nunca foi editada aqui. Então, se há essa  curiosidade, é porque há espaço", completou. 
Sem poupar elogios ao novo amigo, a brasileira Paula Lima adiantou à  Lusa que novos concertos em duo deverão acontecer após o sucesso do concerto  de hoje. 
"Até o último segundo não sabíamos o que ia acontecer. Eu e o Boss tivemos  um encontro muito esperto, muito gostoso, já de cara. Eu conheci o trabalho  dele nos últimos seis meses e já estava gostando do que eu ouvia, mas o  encontro foi só para o Rock in Rio", contou a brasileira, que colocou o  rapper a sambar durante a actuação. 
Após o concerto, Paula Lima, que lamentou nunca se ter apresentado para  o público português, fazia planos com o novo parceiro para uma apresentação  conjunta em Portugal no próximo ano. 
A apresentação ocorreu no início da tarde desta quinta-feira (noite  em Lisboa) no palco Sunset, onde decorrem até domingo as apresentações das  bandas portuguesas. 
Na sexta-feira será a vez dos Buraka Som Sistema, enquanto no domingo  Xutos e Pontapés subirão ao cenário ao lado do grupo brasileiro Titãs.

In SIC Noticias

 

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+