Festival em Moçambique homenageia as mulheres

A Praça dos Trabalhadores, em Maputo, recebeu no sábado o Festival Conexão Hip Hop, que contou com um elenco de mais de 30 artistas moçambicanos, com o objectivo de promover os direitos das mulheres e a luta contra a Sida.

“O objectivo do festival foi promover o hip hop como um importante meio de sensibilização e informação pública. Este ano, tivemos duas causas associadas ao festival, que foram a luta contra o VIH e a promoção dos direitos das mulheres”, disse à Lusa Gabriel Limaverde, da organização. 

Para Gabriel Limaverde, a promoção destas causas sociais em folhetos informativos “está banalizada” e por isso a organização do festival quer sensibilizar o público “de forma criativa e mais eficiente”.   “Em vez de chegarmos e darmos um panfleto sobre VIH, transmitimos a mensagem na música, no hip hop, no rap”, explicou.

“Tivemos mais de 30 artistas na programação de sábado, entre eles alguns menos conhecidos, que chamamos de ‘underground’, e outros mais consolidados que encerraram o festival”, avançou o responsável.

Mentor, Naúm, Trigga ou Kapacetes Azuis foram alguns dos artistas menos conhecidos que actuaram no festival, onde os Jazz P, o Duas Caras e a Iveth atraíram as atenções mais mediáticas.

“O festival foi de entrada livre. A ideia é que a cultura tem que estar acessível às pessoas, não pode estar só em salas, onde para entrar temos de pagar 200 ou 300 meticais. Temos de viabilizar atracções culturais que sejam gratuitas para as pessoas”, sublinhou Limaverde.

Partilhar
Google+