Capicua & Chullage - Optimus Discos 2012 no Cais do Sodré [2012-04-12]

Foi na noite de 5ª feira dia 12 que aconteceu no Cais do Sodré, em Lisboa,  uma iniciativa original e inédita de apresentação dos novos álbuns da editora OptimusDiscos, a Optimus Discos 2012.

A maratona musical percorreu cinco salas: "MusicBox", "Lounge", "Pensão Amor", "Velha Senhora" e "Europa". 
Fomos espreitar as actuações da Capicua e Chullage no "Europa" (http://www.europabar.pt/agenda).  
A rapper portuense Capicua teve direito a testar a adesão do público presente que já quase enchia o espaço. A noite começou com "1º Dia" como tema de abertura, o qual teve adesão imediata por parte do público. Do pouco tempo que tinha para "se apresentar" fez muito, agradeceu ao público presente (com um props especial para o público do Norte) e agradeceu os beats aos produtores com quem colabora, tais como Sam The Kid, Nel'Assassin, Ruas, etc.

 

"Hora Certa", "Os Heróis", "Judas e Dalilas" foram algumas das músicas que fizeram o público render-se às rimas inteligentes desta "Maria Capaz".  
Mas foi com "Medo do Medo" que Capicua teve o seu momento alto da noite! Para finalizar em grande, cantou a "Maria Capaz" que dedicou ao público "quente" e apelou ao download gratuito em www.optimusdiscos.com. Despediu-se dum público rendido com um "Não fiquem tristes porque vem aí Chullage a seguir", mas ficou a sensação de que podíamos ter (e queríamos) mais desta força feminina do rap nacional. 
Já bem depois da meia-noite Chullage entra em palco para apresentar o seu novo àlbum, "Rapressão - Vol.1".   
O público saudou-o levando o "Europa" ao rubro, que era pequeno para toda a gente que queria ver a actuação do rapper. Bastou um remix inicial para levar o público quase ao delírio.  
Não fosse uma das suas principais características a consciência social, Chullage pautou a sua actuação com algumas intervenções sociais e políticas, sempre aplaudidas pelo público, sendo uma delas o apelo à revolução  como a única solução possível para a situação actual do país. 
Foi com "Barrigas Vazias e Corações Partidos" que Chullage se afirmou como "um dos 1.200.000 de desempregados deste país, desta geração que não tem perspectiva de emprego".  
O público rendeu-se às rimas inteligentes e revolucionárias de "Rapressão - Vol. 1", com temas como "De Volta" e "Já Não Dá", que vieram confirmar o estatuto do rapper e levaram ao rubro o público presente, que apesar do calor e de quase não se conseguir ver o palco, não arredou pé até ao fim da noite. A actuação acabou com tema "Rhymeshit Que Abala" do àlbum "Rapresálias (Sangue, Suor e Lágrimas)", com o público a acompanhar  mostrando que já tinham saudades de Chullage.

Agradecemos e apoiamos iniciativas como esta. E venham mais noites de (bom) hip-hop!

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+