Aniversario HipHopWeb no Porto Rio [2003-05-10]

A afluência de público à sessão Breakin Style de hip hop do último sábado é bem superior à média, e como o programa, elaborado para celebrar um ano de actividade do site HipHopWeb (www.hiphop.web.pt), é ampliado para incluir concursos de breakdance e de freestyle, consegue-se estancar a elevada flutuação dos presentes no Porto Rio, que costuma decretar deserções em massa a meio dos concertos.

Nestes momentos, lembro-me que Intruzu, MC dos Bunker Intervenção, afirmava, em entrevista ao Blitz, que a cultura hip hop (ele falava apenas de Espinho, mas o sintoma é extensível a todo o grande Porto e, estava capaz de arriscar, a todo o país, com a possível excepção de Lisboa) já está bem recheada de praticantes. O que falta mesmo são simples ouvintes e espectadores, «pessoas só a curtirem hip hop». Tem toda a razão – só a existência de um volume consistente de público simplesmente melómano, francamente superior aos actuais núcleos (territoriais) de militantes, tornará viável a médio prazo um fenómeno com as dimensões artísticas que o hip hop já adquiriu em Portugal. Sem esse alargamento, poder-se-á voltar ao espírito de gueto da segunda metade dos anos 90, o que deverá agradar a um punhado de puritanos hardcore mas que, com a história da música popular está farta de provar, geralmente acaba por anular quem se guia pela aspiração estética em favor da mera resistência «política» (o que podia levar a uma discussão em redor da dualidade aspiração vs. resistência, de fronteiras tão ambíguas que dava direito a livro).

A avalanche de público ao Porto Rio, mesmo que favorecida pela grande quantidade de intervenientes na festa, revela um número prometedor de novos «aderentes». Uma personalidade já veterana do hip hop portuense e presença habitual nestas coisas diz-me, com satisfação, que não conhece a grande maioria dos (muito jovens) presentes. Aqui, podem escutar KS Xaval, submerso num som abaixo de lo-fi que não revela sinais de especial interesse (aguarde-se a audição do recente CD promocional «Raios Te Partam…»), e os Bunker Intervenção, a agarrar com facilidade os ouvidos disponíveis através de uma dezena de temas versáteis e entregues a alta velocidade, incluindo várias faixas ausentes do óptimo álbum «É Só Pedir…». «É Mesmo Assim» tem direito a justa dose dupla.

 

in Blitz Nº967 (13/05/2003) por Jorge Manuel Lopes

Fotos por Red Fox para HipHopWeb

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+