M.O.P. no Hard Club [17-12-2010]

Um dos concertos mais aguardados chegara finalmente ao Hard Club no Porto. A maior sala do recinto estava completamente cheia para assistir aos concertos da noite. Mc Maze (Dealema), foi o apresentador dos vários Mcs que subiram ao palco: o grupo Enigma, constituído por Mc Each e Mc Chek, foi o primeiro a actuar, contaminando o público, desde cedo, para a febre do hip hop. Seguiu-se um pequeno intervalo, em que o Dj Slimcutz passou grandes clássicos, mantendo o público bem desperto e animado. Aconteceu também algo que já não se via há uns tempos: os bboys presentes na casa abriram uma roda e dançaram ao ritmo da música, provando que a cultura hip hop estava bem viva na sala. De seguida, foi o Mc Rey que subiu ao palco, depois de vários anos sem actuar: originalmente de Gaia mas viajante por vários sítios do mundo, pertencente ao oldschool do rap nacional, deu um grande concerto, lembrando que ainda continua ligado ao movimento.

Depois de mais um intervalo ao som de músicas inesquecíveis, foi a vez do aclamado Mc Mundo, do grupo Dealema, fazer a festa, acompanhado, como sempre, pelo público que seguiu as suas letras fielmente. Mc Mundo chegou mesmo a confessar que se sentia ansioso pela actuação dos M.O.P pois tinha esperado 32 anos para os ver! Seguiu-se a actuação do Mc Deau, que vindo directamente de Lisboa, onde tinha estado já em palco com os M.O.P, brilhou com o seu surpreendente freestyle. O público estava cada vez mais ansioso pela grande actuação da noite, que chegou logo a seguir: a dupla dos rappers Billy Danze e Lil’Frame, os Mash Out Posse, mais conhecidos por M.O.P, subiu ao palco para um grande concerto na cidade Invicta. O público estava ao rubro e acompanhou, cheio de energia, e para delírio da dupla, os grandes sucessos tocados. Correspondendo completamente às expectativas, os M.O.P marcaram, sem dúvida, o imenso público que os aplaudiu fervorosamente no fim da actuação. Para finalizar a noite, seguiram-se os pratos, onde os Djs continuaram a manter o espírito do hip hop aceso. Foi um concerto a não esquecer e uma data memorável para os que seguem o movimento: o hip hop mostrou-se bem vivo e, de casa cheia, provou que, sem dúvida, está muito longe de ser um movimento das minorias.

 

Texto por: Inês Torres e Miguel Oliveira
Fotos & Videos por: Red Fox

 

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+