Hip Hop Tuga no Jardim no Belião Bar [2013-07-06]

No passado Sábado, a cultura Hip Hop invadiu o Jardim dos Poetas em Ponte da Barca, morada oficial do Belião Bar.
Quem já por lá passou, tem tendência a querer ficar... Além da paisagem, que encanta qualquer um, o Belião dá direito garantido a conhecer novos projectos, bandas e djs todos os fins de semana. Ao entrarmos no bar, parece que de repente estamos a visitar outro país, notam-se as influências deixadas por um corajoso viajante dinamarquês que se instalou na vila e criou o bar, hoje em dia gerido pelo Jaga, que todos conhecem e admiram pela persistência em manter Ponte da Barca ainda mais viva.

Nem a frescura do rio a poucos metros do bar consegue afastar os 41 graus que se fazem sentir.

A tela para o graffiti já está pronta e começa a ganhar forma com a chegada de Youth One. É só mesmo pousar a mochila, preparar as latas e começar a pintar a enorme tela que o aguarda, que fará parte da decoração do Belião Bar (Link Fotos).

Youth One dispensa apresentações. Para os mais desatentos, faz parte da 1ª geração de writers em Portugal, é um dos fundadores dos Mundo Complexo e da Dedicated Store no Porto. Falou-nos um pouco do seu percurso e da história do graffiti no nosso país.

Esta arte urbana começou a dar os primeiros passos em Portugal no fim dos anos 80, em Carcavelos. O acesso à informação e aos materiais era bastante limitado, não havia revistas nem se sabia o que acontecia fora de Portugal, as novidades eram passadas boca-a-boca entre amigos, vindas de viagens, contactos com estrangeiros, ou até inspiradas em filmes ou revistas difíceis de arranjar...

Youth One vem para o Porto em 2003 e mais tarde surge o convite para abrir uma Loja Dedicated no Porto. Entretanto, faz inúmeras parcerias com muitos nomes do hip hop “tuga” e começa também a ser conhecido como MC Ridículo.

Ao fim da tarde, a tela parece pronta, mas Youth diz que ainda vai dar uns retoques. O que começou por ser um rosto feminino, transforma-se rapidamente numa verdadeira obra de arte, como o próprio o descreve “um grito ocultado na cor”; uma imagem forte e detalhada que chama a atenção pelas cores vivas e fluorescentes – “neon colors”, a contrastar com a tranquilidade do Jardim dos Poetas.

Os mais curiosos e atrevidos tiram fotografias, admiram os traços rápidos e precisos do writer. Talvez não façam ideia de quem está a pintar, pois conforme nos dizem: “Aqui o pessoal é mais do rock...”

Os Grito Cru, vindos da Maia, mostraram que o Hip Hop está em grande, com os MC’s Preguiçoso e Suspeito Óbvio e o Dj Osir a presentear-nos com uma actuação segura e cheia de energia.

Os temas “Esperança”, “O Tempo Foge”, “Nação Valente” e “A minha raça” são um bom exemplo do que se faz em Portugal. Depois de 2 EP’s e passagens nas Noites Ritual, Ser Humano e Festival de Música da Maia, vamos todos aguardar pelo primeiro álbum, que já está a ser gravado e tem edição prevista ainda este ano.

Depois do concerto, os pratos ficaram a cargo de Ace (MC dos Mind da Gap), recentemente saído do hospital após uma operação a uma hérnia... É bom ver que está de volta com tudo o que o caracteriza, e ainda com um “acessório extra” ao pescoço, que nada influencia os ritmos que se fazem sentir no Belião.

Com um Dj Set que percorreu as estradas do rap, funk, soul e r&b, o ponto alto foi quando começou a interpretar alguns temas dos Mind da Gap, como “Não pára” e “És onde quero estar”, cantados por todos.

O Youth veste a pele de MC Ridículo e o microfone parece que tem que tem um íman que o puxa para ele, o público está ao rubro e já ninguém se lembra do calor que está!

Ao longo da noite ficou provado que o Hip Hop conseguiu entrar em Ponte da Barca, devagarinho, mas para ficar.

 

Partilhar

Artigos Relacionados

Google+